segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Emprego da retoma em debate amanhã

Foi também convidada a deputada comunista Rita Rato, mas por dificuldades de agendamento parlamentar não vai ser possível contar com a sua presença, o que muito se lamenta.

Este vai ser o Barómetro que vai estar em debate. E este também sobre a estagnação da produtividade. E que teve já uma reacção do próprio primeiro-ministro no último debate quinzenal de 2017. Disse António Costa, em resposta a uma pergunta do Bloco de Esquerda:

"Os números do INE não consentem duas interpretações. 70% dos novos contratos de trabalho são contrato sem termo, não são contratos precários, são contratos de trabalho definitivos. O estudo que cita é um estudo que deve ser analisado, primeiro porque não se refere apenas ao período destes dois anos, mas mais extenso; e segundo pela metodologia própria com que trabalha que é uma metodologia onde não identifica contratos de trabalho, mas trabalhadores e em que por isso há porventura uma empolação daquilo que são os contratos precários por via da multiplicação de contratos na mesma pessoa. Agora os dados oficiais, formais, do INE dizem que, nestes dois anos, são 76%. E mais: tem vindo a melhorar porque os dados de 2017 já dizem que 78% do emprego existente em Portugal é sem ser contrato a termo e portanto emprego com maior qualidade. Não está tudo acabado, claro que não. E é por isso que disse que o desígnio para este ano tem de ser o melhor emprego. Porque além de ter mais emprego, temos de ter melhor emprego. Um emprego mais digno, com salário mais justo e de maior qualidade. É esse emprego para que vamos trabalhar."
Como se vê, há muito para debater. Apareçam!

13 comentários:

Jose disse...

Agradeçam ao PPC: quanto menos rígidas as regras de despedimentos mais permanentes os contratos.

Só os lerdos e a esquerdalhada acredita no contrário.

cesário vermelho disse...

E não havia mais ninguém disponivel na área do PCP? Estranho debate sobre emprego sem alguém das Centrais Sindicais.

Anónimo disse...

Os organizadores deste "debate" sobre o "emprego da retoma" acharam que não deviam convidar nenhum dirigente da CGTP. E que, do grupo parlamentar do PCP, só a deputada Rita Rato devia ser convidada, mesmo que não estivesse disponível para o dia e hora escolhidos (em função das disponibilidades dos outros participantes).

O comentador das 12:53 acha estranho um debate nestas condições. Eu não acho estranho, mas acho que vale muito poucochinho.

esteves, ayres disse...

Em resposta ao Senhor Primeiro Ministro António Costa, se não se importa, tem que nos explicar o que é isso de "salários mais justos e de maior qualidade"!
Quando o senhor Primeiro-Ministro nos explicar o que quer dizer com isso!?
Eu gostaria de lhe responder!
Contudo deixo-lhe aqui, um recado; demagogia não, Senhor Primeiro-Ministro!

Anónimo disse...

"... nestes dois anos, são 76%. ..." não quer dizer nada.
Se nos anos anteriores essa contratação foi incipiente, qualquer crescimento insignificante poderá ser 76%. Mas mais.
É indispensável analizar os números e não precentagens ilusórias.
É indispensável analizar em mais detalhe os contratos e em que tipo de actividade.
Há várias formas de tentar enganar. Percentagens é das melhores.

Anónimo disse...

Agradecer a Passos Coelho?

Àquele génio que agora vai tratar da sua "vida" nas suas próprias palavras e que foi removido como trampa putrefacta após ter sido o Fuhrer dum governo criminoso a debitar em alemão?

Não está bom da cabeça o sujeito das 11 e 44

Anónimo disse...

Agradece assim o das 11 e 44 ao seu ídolo, Passos Coelho.

Se é pelo facto que apresenta como justificativo é de uma idiotice a toda a prova.

Já muito se têm debatido, esta e outras questões correlacionadas, para agora aparecer um viúvo do Coelho e gritar um slogan propagandista, parido nas caves imundas do neoliberalismo mais boçal.

Provavelmente pensará que se repetir asnices estas deixam de o ser.

Esta de confundir desejos com realidades dá este resultado.

Esta de imitar aquele patife pervertido, que dizia que uma mentira mil vezes repetida se torna realidade, confirma os mesmos resultados


Anónimo disse...

Mas há algo que precisa de ser sublinhado.

O sujeito das 11 e 44 é um assumido salazarista. Para provar o seu contentamento perante a obra daquele traste de nome Passos Coelho, fez proclamação solene de voto a este.

Que um salazarento personagem,defensor das almoçaradas da legião e da acção dos pides, vote assim tão contentinho em Passos Coelho, permite aquilatar duma assentada o que é tal personagem e o que é Passos Coelho.

Mas há aqui algo que se destapa. Por ignorância ou por pesporrência,já lá vamos, vemos um autêntico consultor financeiro a antecipar-se ao debate publicitado.

O que é curioso é que agora concorda com António Costa. O que é curioso é que andou a insultar este duma forma abjectamente racista quando Costa democraticamente substituiu Passos, permitindo uma lufada de ar fresco a um país que sofria e cujo governo fedia insuportavelmente

O que é curioso é como agora o das 11 de 44 todo pimpão tenta aparecer colado assim Costa

O que se passa?

Anónimo disse...

"Durante a campanha interna, Rui Rio já havia anunciado, com não poucos estilhaços polémicos, a orientação estratégica de, não sendo o PSD o partido mais votado ou não dispondo de uma maioria absoluta com o CDS, viabilizar um governo minoritário do PS com o assumido objectivo de o libertar da necessidade de compromissos com o PCP, o BE e o PE.

Mas, apesar disso, não deixa de ser por demais significativo que, dois dias depois da eleição de Rio, venha logo puxar essa orientação para primeiro plano, ao declarar que « Da mesma forma que o Bloco de Esquerda e o PCP têm vendido a alma ao diabo, exclusivamente com o objetivo de pôr a direita na rua, eu acho que ao PSD lhe fica muito bem se vender a alma ao diabo para pôr a esquerda na rua”, afirmou Manuela Ferreira Leite, em entrevista à TSF».

Anotando-se de passagem o lugar cativo que o Diabo continua a ter no discurso de personalidades do PSD é pois de registar o que realmente rala o PSD e como é fraca a sua ambição política para as próximas legislativas embora o seu alvo principal seja compreensível porque confirma o que mais lhes dói, a saber, o peso ou influência da esquerda junto do governo minoritário do PS que o PSD pretende atrair para compromissos alternativos consigo."

Estas palavras certeiras de Vitor Dias, no seu Blog, o Tempo das Cerejas, desvendam afinal o mistério.

O sujeito das 11 e 44 já está no mercado a vender-se ao Diabo. Segundo a sua própria missa, há que ocorrer rapidinho para obter "vantagens competitivas".

Adivinham-se quais

Jose disse...

O Cuco eriça as penas e bate as asas...

Jose disse...

O Cuco agita-se inquieto; talvez a Direita tenha melhores relações com o Diabo que a esquerdalhada.

João Pimentel Ferreira disse...

A questão que interessa saber é: o que é que este governo fez por isso?

https://www.veraveritas.eu/2018/01/o-crescimento-economico-deve-se-este.html

Anónimo disse...

Nãooooo

Mais uma vez o victor aonio eliphis tiago volta ao ataque para impingir o seu espaço

Terá rendimentos de acordo com as visitas?